Home Alunos Disciplinas Fotos Vídeos Outros Histórico Pedagógico Corpo Docente CSsR - Redentoristas

Séc XXI

Anos 90

Anos 80

Anos 70

Anos 60

Anos 60

      No dia 09 de março de 1959 foi feita a mudança, de Pinheiro Marcado para Passo Fundo, foi formada uma nova equipe de dirigentes para assumir as tarefas do novo seminário gaúcho, cujos nomes são:
     Pe. Odilon Hackenhaar – reitor e professor, Pe. Guilherme Sônego – diretor, ecônomo e professor, Pe. Adão Monticelli – sub-ecônomo e missionário, Pe. José Voguel – missionário, Pe. Gildo Darós – missionário, Pe. Balduíno Birk – professor, Pe. José Neri Marcuzzo – prefeito do seminário e professor, Pe. Fredolino Strehl – professor, Pe. Renato Tonon – diretor espiritual e professor, Irmão José Ciupertino Uschold – marceneiro, Irmão Wolfgang Scheck – porteiro, roupeiro, sacristão. O vice-provincial de POA era o Pe. Luís Pessi.
     A construção do novo seminário  era ampla e ainda não estava terminada, contudo, já estava em condições de ser habitada. Foi oficialmente inaugurada no dia seis de janeiro de 1961.
     De 1959 até 1968 o funcionamento da instituição redentorista passofundense ocorreu em regime de Seminário, atendendo um número significativo de rapazes (chegando aproximadamente a 180 seminaristas, cursando o 1º e 2º grau, atualmente intitulado Ensino Fundamental e Médio)  dedicados à formação e promoção da vocação religiosa missionária. Em 1969 começa a receber alguns alunos externos (meninos).
     Até 1960 a alfabetização era feita no próprio Seminário, intensivamente. Muitos alunos começavam semi-analfabetos, vinham do interior ou de pequenas vilas, onde as escolas não tinham condições de trabalhar com grande número de alunos. Na maioria das vezes, eram as pessoas que mais se salientavam na localidade. Eram alunos simples e dóceis, embuídos de grande vontade de aprender, que abandonavam o interior em busca de uma vida nova.
     De 1960 até 1965 é a fase da República Populista, o Brasil vai gradativamente se transformando de um país agrícola em um país industrial. A população continua sendo, em sua maioria, rural mas com um grande crescimento urbano. Aparecem muitas pequenas cidades do interior, em função dos meios de comunicação, das estradas, o rádio passa a ser mais difundido, lançam-se revistas, surgem pequenas indústrias e casas comerciais. Aumenta o consumo em função do aumento da população.
     A clientela do Menino Deus começa a mudar. Finda o período de alfabetização no seminário (preparatório) e os alunos ingressam no ginásio (atualmente designado Ensino Fundamental, 5ª a 8ª séries). Estes alunos vêm em sua maioria, das pequenas vilas e cidades e,  em  menor número, de médias e grandes cidades. A família ainda é patriarcal, a obediência, a docilidade são elementos essenciais de nossos alunos, o desejo de saber é grande. O professor continua sendo o centro, a sabedoria.


 


 

Rua Angélica Otto, 160 - Passo Fundo/RS - Fone (54) 3314-1888