Home Alunos Disciplinas Fotos Vídeos Outros Histórico Pedagógico Corpo Docente CSsR - Redentoristas

Escola abre as portas de museu para a comunidade
O Nacional | Publicado em 16/07/2012 07:18:07
(www.onacional.com.br/noticias/cidade/32340)
Créditos: Gerson Lopes/ON
 
Uma riqueza histórica que por meio século permaneceu restrita apenas à comunidade escolar do Instituto Menino Deus, será aberta aos passo-fundenses a partir desta terça-feira. Na sala de aproximadamente 250 metros quadros, localizada no segundo andar do educandário, estão preservadas mais de duas mil peças distribuídas em armários, prateleiras e penduradas pelas paredes.

Um resgate do passado através de objetos religiosos, indígenas, armamento de guerra, moedas da época do império romano, cédulas, pedras, e uma infinidade de ferramentas e utensílios. O acervo do Musimed começou a ser formado com as peças que escaparam do incêndio ocorrido em 1959, no museu do Instituto Redentorista, na cidade de Cachoeira do Sul. Ao longo dos anos, outras relíquias foram sendo garimpadas e arquivadas sob os cuidados do padre Oscar R. Krindges, falecido no ano passado aos 95 anos. Com a chave da sala sempre em mãos, ele dedicou grande parte de sua vida para ampliar e preservar o acervo.

“Ele sabia exatamente onde estava cada peça. Controlava a entrada de pessoas. Tinha uma dedicação e um carinho muito grande pelo museu” lembra o historiador, Mateus Cavalheiro Del Ré, que agora assume a função de coordenador. Segundo ele, a direção da escola já está analisando a contratação de museólogos para iniciar o processo de organização, catalogação, restauro e registro das peças.

Entre as centenas de raridades existentes, o professor destaca um anjo em madeira do segundo ciclo missioneiro do século 18, trazida da região de São Francisco de Paula, ossadas de indígenas vindos da região de Sambaqui, no Rio Grande do Sul, um telefone do século passado, armas usadas na 1ª e 2ª guerras mundiais, e nas revoluções Farroupilha e Federalista, além de objetos como afiador de gilete, e dezenas de animais empalhados. “Estou aqui há 12 anos, e ainda fico surpreso com as peças que encontro” comenta.

Após a solenidade de inauguração, marcada para às 10h30min, de terça, a comunidade poderá visitar o museu todas as sextas-feiras, através de um pré-agendamento e pagamento de um valor simbólico, que ainda não foi definido. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3314.1888.
 

 

 

 

 

 
 


 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

Rua Angélica Otto, 160 - Passo Fundo/RS - Fone (54) 3314-1888